Pesquisar este blog

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

AVANÇO DO MAR É UM ALERTA NACIONAL.

Notícias OUL - O avanço do mar é um fenômeno registrado no litoral dos 17 Estados brasileiros banhados pelo oceano Atlântico. Levantamentos recentes apontam que, além de avançar em uma velocidade acima do normal em alguns locais, o mar também está recuando em parte significativa do litoral, o que vem mudando o mapa litorâneo. Especialistas preveem alterações ainda mais significativas nos próximos anos

Veja a situação em cada Estado, a fonte é o "Estudo Erosão e Programação do Litoral Brasileiro", do Ministério do Meio Ambiente


Alagoas
A costa do Estado de Alagoas caracteriza-se por grande desenvolvimento de estuários e manguezais, plataforma continental estreita, coberta por sedimentos carbonáticos e com grande desenvolvimento de recifes. Tal configuração, aliada ao fraco fornecimento de sedimentos pelos rios, confere a esta costa uma alta vulnerabilidade.

A presença de falésias vivas e de rochas mesozóicas da Bacia Alagoas, somadas à quase ausência de planícies e as ocupações do homem ao litoral, são responsáveis pelos graves problemas ambientais relacionados à erosão marinha que atinge as praias do Estado. A erosão marinha é mais evidenciada nos setores norte e central, sendo estes os mais ocupados e urbanizados do litoral alagoano.

Amapá
Alguns trechos com significantes reentrâncias são resultantes de processo erosivo. Em comparação ao estudo das zonas costeiras dos setores nordeste, central e sul do Brasil, os estudos são bastante recentes e localizados, em função também das dificuldades de acesso e devem nos próximos anos trazer novos cenários.

Bahia
Tem 26% do litoral em erosão, 6% em progradação e 8% estabilizado por obras de engenharia. Os números mostram que a maior parte da linha de costa encontra-se em equilíbrio. Os principais casos de erosão estão associados à dinâmica de desembocaduras fluviais (migração lateral no caso de pequenos cursos d?água, mudanças na configuração das barras de desembocadura e variações naturais da vazão sólida e líquida). Outros casos de erosão severa estão associados à retenção de areia por instalações portuárias (Ilhéus) e em cabos inconsolidados (Caravelas). Os casos mais significativos de progradação foram verificados nas desembocaduras dos rios Jequitinhonha e Contas.

Ceará
O Estado do Ceará apresenta uma linha de costa de 573 km que vem sofrendo extensivos processos erosivos. A implantação de equipamentos tais como áreas portuárias e desenvolvimento urbano foram avaliados. As variações sazonais de direção do vento, ondas, a configuração de marés altas em swells, o barramento de corredores eólicos, e ocupação inadequada são as principais causas dos processos erosivos.

Espírito Santo
O levantamento aponta que há continuidade dos processos erosivos sobre a modelagem do litoral. A tendência tem sido agravada pela intensa urbanização. O uso urbano inapropriado é também responsável por eventos erosivos nos setores onde a linha de costa apresenta-se bastante recortada e com tendência natural a estabilidade. Tendências progradacionais são evidenciadas nas planícies costeiras próximas as principais desembocaduras fluviais como do rio Doce e rio Itabapoana, no limite com o Rio de Janeiro.


Maranhão
Em comparação aos estudos das zonas costeiras dos setores nordeste, central e sul do Brasil, os estudos são bastante recentes, e localizados, em função também das dificuldades de acesso e devem nos próximos anos trazer novos cenários.

Pará
A erosão praial é um dos fenômenos mais impressionantes entre os processos costeiros, que acabou transformando-se em um problema emergencial. Estudos mostram que maisde 70% das costas arenosas têm exibido uma tendência erosiva nas últimas décadas, menos de 10% apresentam progradação entre 20 e 30% e mostram-se estáveis. Trabalhos descritivos de erosão na zona costeira paraense são escassos: as primeiras investigações sobre este tema se iniciaram no ano de 2000.

Esta tendência à erosão das praias arenosas, nos dias de hoje, têm sido discutidas por numerosos autores, e a maioria deles admite um aumento do nível do mar relativo, como causa mais importante.

Paraíba
Situação alarmante, com quase 50% da costa ameaçada pela erosão. Este número decorre do fato deste trecho de linha de costa estar situado em um setor da costa brasileira caracterizado por um tendência de longo prazo para a erosão costeira. Esta tendência tem sido exacerbada por padrões inadequados de ocupação dalinha de costa. Cerca de 42% experimentam recuo da linha de costa, 33% experimentam progradacão e apenas 21% encontram-se em equilíbrio. Outros 4% estão estabilizados por obras de engenharia.

A zona costeira, de 140 km, é composta por 13 municípios onde vivem aproximadamente um milhão de pessoas. A erosão costeira têm constituído um grave problema no Estado da Paraíba, resultando em perda de propriedades e no investimento de recursos significativos para a construção de obras de proteção.

Paraná
No Paraná os problemas costeiros são decorrentes principalmente de uma ocupação inadequada, muito próxima da linha de costa. Além da destruição das dunas frontais que funcionam como estoque de areia para a praia, não foi deixado espaço suficiente para que se processem os ciclos naturais de progradação/retrogradação. Em alguns casos, a ocupação se deu invadindo a própria praia, e alterando o equilíbrio do sistema praial.

Pernambuco
No litoral de Pernambuco, a erosão marinha é um problema verificado em aproximadamente 1/3 das praias. Os fatores que contribuem decisivamente para este processo são vários. Em algumas praias é produto direto das intervenções do homem, seja por ocupação das áreas adjacentes a praia (impermeabilização dos cordões marinhos arenosos holocênicos) e até das pós-praia, como é o caso particular da praia de Boa Viagem (zona metropolitana do Recife) e do litoral de Olinda e de Paulista; seja pela construção de estruturas rígidas artificiais de proteção contra o processo erosivo, muitas vezes implantadas sem conhecimento técnico.

Piauí
O Estado foi o único que não teve o litoral pesquisado pelo Ministério do Meio Ambiente no estudo.

Rio de Janeiro
O litoral do Rio de Janeiro se divide em três grandes compartimentos. No segmento oriental, que se estende do limite com o Espírito Santo ao Cabo Frio é amplamente dominado pela orla da planície geral, de fragilidade da linha de costa. Na margem direita da desembocadura do rio Paraíba do Sul apresenta em pequeno trecho o mais intenso fenômeno erosivo de todo o litoral do Estado, seguido, logo ao Sul, por um trecho com tendência de progradação. Ao Norte da desembocadura, até o rio Itabapoana, um embaiamento parcialmente protegido pelo litoral protuberante do Espírito Santo apresenta fenômenos erosivos localizados especialmente em pequeno trecho de falésias sedimentares ativas.

Do Cabo Frio à Ilha da Marambaia, a ação de fortes ondas e de tempestade com ocasionais eventos erosivos é significativa. O terceiro setor é caracterizado pela planície costeira da baía de Sepetiba protegida das ondas de tempestade pela restinga da Marambaia e pelo predomínio de costões rochosos e planícies costeiras de pequena expressão da baía da Ilha Grande, parcialmente protegido pela Ilha Grande, apresentando fenômenos erosivos localizados e de pequena amplitude.

Rio Grande do Norte
Registros atuais de erosão costeira estão presentes em muitos trechos do litoral norte-rio-grandense, com origem atribuída principalmente ao reduzido aporte fluvial de sedimentos, decorrentes das pequenas dimensões das bacias fluviais regionais, e a perda de sedimentos para o continente, com a formação dos campos dunares. A deriva litorânea, também tem um papel importante na distribuição de sedimentos ao longo dessa faixa costeira.

Rio Grande do Sul
A maior parte da costa gaúcha está submetida a processos erosivos com taxas que excedem a 100m em 22 anos. Estas áreas estendem-se por aproximadamente 378 km. As zonas costeiras ao sul do molhe da barra da Lagoa dos Patos e ao norte do arroio Chuí apresentam um balanço entre as taxas de suprimento e de remoção de sedimentos para o período de 22 anos, com variações da linha de praia inferiores a 20m. As tendências de evolução da linha de costa, estabelecidas pelos extremos erosivos e deposicionais, resultam da complexa interação entre as taxas de variações relativas do nível do mar, as taxas de suprimento sedimentar, a dinâmica das ondas e os impactos produzidos por ondas de tempestades. Estudos sobre as taxas de variações do nível do mar para esta região indicam elevações da ordem de +0,62 mm/ano, como estabelecido a partir dos dados do marégrafo de Punta del Este - República do Uruguai, entre os anos de 1901 e 1992.


Santa Catarina
Pode-se constatar evidências erosivas na maioria das praias estudadas, evidências estas, associadas a processos naturais da dinâmica praia, geradas pelos agentes naturais transformadores da morfologia praial, como ondas, correntes, marés e ventos. Estes processos além de diminuírem a faixa de areia da praia e o consequente recuo da linha de costa, comprometem as ocupações próximas ao ambiente praial, pois favorecem o avanço do mar propiciando o alcance de ação das ondas em episódios tempestivos.
A intensificação dos processos erosivos está intimamente relacionada com as ocupações indiscriminadas que se instalam junto à praia. Nas praias com pouca ocupação urbana, após os processos erosivos, constatou-se a recuperação do perfil praial com ganho sedimentar. Nas praias com densa ocupação urbana junto ao ambiente praial, a duna frontal foi descaracterizada, impedindo consequentemente a troca de sedimentos. Nestas, os processos erosivos foram intensificados pela ação antrópica ocorrendo o recuo da linha de costa, como foi observado nas praias de Armação, Barra da Lagoa, Canasvieiras e Ingleses.

São Paulo
O litoral do Estado de São Paulo apresenta aproximadamente 400 Km de extensão, sendo em grande parte constituído por praias arenosas. Ao contrário de muitos estados brasileiros, não são observados segmentos contínuos submetidos a processos generalizados de erosão ou progradação. O que existe são segmentos restritos de linha de costa, submetidos a processos erosivos ou acrescionais, sendo estes, em geral relacionados com a existência de obstáculos naturais ou construídos, que alteram a dinâmica sedimentar original. Tanto os obstáculos naturais como os construídos modificam a interação da posição geográfica da linha de costa com o trem de ondas.

Sergipe

Em comparação com outros estados do Nordeste, a erosão costeira não é um problema particularmente grave. Especial atenção deve ser dada pelos planejadores na ocupação dos trechos classificados como de "Elevada Variabilidade", associados às desembocaduras dos rios Real, Vaza Barris e Sergipe, onde episódios erosivos localizados já causaram significativas perdas materiais.

domingo, 13 de novembro de 2016

PRIMEIRO DIA DA GREVE DOS PROFESSORES DO UFRN É MARCADO POR ATO POLÍTICO-CULTURAL

Arthur Salvação - Agência Fotec/UFRN


Tribuna do Norte - Docentes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) deflagraram greve pela primeira vez em onze anos. O movimento iniciou-se nesta sexta-feira (11), e se estenderá até a próxima sexta-feira (18). O cronograma de greve é o diferencial em 2016: os professores que aderiram à paralisação decidiram por um modelo com apenas sete dias de duração. A greve por tempo determinado é a forma encontrada pelos movimentos sindicais brasileiro para se adequar frente às novas resoluções do Supremo Tribunal Federal (STF), que alteraram as regras vigentes para as greves dos servidores públicos.

O modelo é o mais acessível para a categoria em um contexto de corte salarial imediato para os servidores que entrarem em greve, como deliberou o STF no fim de Outubro. Com a nova estrutura, eles buscam acumular forças a nível nacional e intensificar os debates na Universidade sobre as expressões e implicações do motivo da greve: que, neste caso, é um posicionamento contrário à PEC 55, proposta do governo Temer que estipula pelos próximos 20 anos teto para os gastos públicos em áreas primárias como saúde e educação.

Wellington Duarte, presidente do Sindicato dos Docentes da UFRN (ADURN), avaliou positivamente o primeiro dia de greve, que contou com ato político-cultural iniciado pela manhã. As atrações do evento foram a banda Zé Smith e Ban de Fela e a cantora Khrystal. “As intervenções têm que ter um caráter também cultural. O ato em si já é político, mas nós queremos propor que o professor participe desse ato com certa leveza, afinal a cultura faz parte da formação acadêmica de muitos aqui da Universidade”, aponta Duarte.

Sobre as ocupações de escolas e demais instituições públicas de ensino realizadas por secundaristas e universitários em todo o Brasil, Duarte enfatizou o apoio da ADURN ao movimento, tirado em assembleia. O sindicalista chamou atenção para as tentativas de criminalização das ocupações quando estas são tratadas como “invasões”.

O presidente ainda falou do caráter mobilizador do movimento estudantil que, assim como o modelo de greve adotado pelos docentes, leva à comunidade a discussão sobre o momento político que vive o Brasil. Wellington classificou as ocupações como legítimas, uma vez que os órgãos ocupados podem funcionar normalmente, a exemplo da Reitoria da UFRN ocupada desde o dia 24 de outubro e que não teve suas atividades interrompidas.

Para a próxima semana estão programados aulões e atividades culturais, sempre tendo como objetivo principal a discussão e reflexão sobre os impactos da PEC 55 na sociedade. A programação acontecerá no estacionamento do Centro de Convivência da UFRN e será divulgada ainda hoje nas redes sociais da ADURN. Bate-papo com a senadora Fátima Bezerra, no entanto, já está confirmado para segunda-feira (14), às 9h da manhã

EDUCAÇÃO> “SE QUEREMOS QUALIDADE, TEMOS QUE PERSONALIZAR”

  Yuno Silva
Redimensionamento da rede pública de ensino tem causado dúvidas sobre como funcionarão as escolas já em 2017

Por Tribuna do Norte - Diante das dúvidas geradas em torno do assunto redimensionamento escolar na rede pública estadual de ensino, a secretária de Educação, Cláudia Santa Rosa, conversou com a TRIBUNA DO NORTE e esclareceu alguns pontos, como a garantia do não fechamento de escolas, como muitos pais e professores têm demonstrado preocupação. Ela explica a necessidade de separar por escolas modelos de ensino, mas sem prejudicar os alunos pela distância, já que muitas escolas estão próximas umas das outras. Em casos específicos, como a localizada em Ponta Negra, a secretária garante que a questão sobre a mudança do Ensino Fundamental desta unidade ainda não está concluída e que fará ainda um levantamento para ver que medidas poderão ser tomadas. 




Qual o posicionamento da SEEC sobre o processo que questiona a jornada de trabalho?
Existe uma ação em curso, iniciada pelo Ministério Público do RN, o Tribunal de Justiça determinou um prazo de 30 dias para ajuste e temos que cumprir. A Procuradoria Geral do Estado (PGE), que defende o Estado, nos informou que não encontrou sustentação para se opor à representação do MPRN.

A medida prejudica o planejamento escolar, uma vez que a diferença acumulada da jornada de trabalho dos professores gera uma diferença de 16h horas mensais?
Meu entendimento é que o terço da hora atividade está garantido. A ação do MPRN defende que o servidor público da educação não é contratado pela hora aula, como acontece nas escolas privadas cuja relação é celetista (CLT), e sim pela 'hora relógio'. As 10 horas para o planejamento estão mantidas, mas a diferença nas 20 horas restantes gera uma diferença de 4 horas semanais a menos – o que na prática significa que os professores estão trabalhando 16 em vez das 20 horas em sala de aula. A PGE não se opôs a esse entendimento, e vamos aguardar para saber se a tese da promotoria do Patrimônio Público será comprovada.

E quanto ao redimensionamento da rede estadual de ensino, há riscos do Governo fechar escolas?
Não, de jeito nenhum. Essa proposta surgiu de uma necessidade de cumprirmos o que está previsto no Plano Estadual de Educação, onde são apresentadas metas de qualidade e previsão para reordenamento da rede. Para o Plano sair do papel é necessário que a SEEC adote ações de gestão. Para termos bons resultados, precisamos funcionar com uma rede com 6 a 7 tipos de combinação escolar, atualmente são 54 combinações: escolas de ensino médio com tempo integral; escolas técnicas com ensino fundamental; anos finais do ensino fundamental (do 6º ao 9º ano) com Ensino de Jovens e Adultos (EJA), magistério com ensino médio. Essa oferta misturada diminui a eficiência. A avaliação do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) comprova isso.

Essa proposta de aglutinar ensino médio em um lugar, ensino fundamental em outro, e assim por diante, não dificulta o acesso do aluno no momento que ele deixa de frequentar uma escola próximo de onde mora?
Muitas escolas estão bem próximas de outras, temos unidades com 12, 15 alunos, a duas ruas de distâncias de outra escola na mesma situação. Nossa proposta foi apresentada aos gestores escolares pelas Direds (são 16 Diretorias Regionais de Educação em todo o RN),    Direds, e houve entendimento da proposta entre a comunidade escolar e famílias em muitos lugares. Não vamos redimensionar uma unidade que esteja distante de outra, nossa proposta tem causado mal estar – principalmente dos professores, por estarem preocupados em serem transferidos. Não vamos avançar enquanto a lógica for priorizar a acomodação das equipes, o Estado precisa otimizar a rede física e os recursos humanos, qualificar essa oferta.

Mas esse redimensionamento não traz o risco para um aluno ficar muito longe de onde vai estudar?
Se queremos qualidade, temos que personalizar a oferta; a escola precisa ter foco, e a Secretaria precisa ter gestão. Um exemplo prático: existem várias escolas próximas à Escola Jean Mermoz, no bairro do Bom Pastor, e propomos que os alunos que estão estudando à noite sejam remanejados para que possamos manter um quadro completo de professores e um número de alunos mais realista para melhores resultados. Temos 64 escolas no RN funcionando com 1 a 99 alunos. Estados como Pernambuco e Ceará já resolveram essas questões.

Ontem foi exibida matéria na TV onde pais de alunos da Escola José Fernandes Machado, em Ponta Negra, estão preocupados em ter que transferir os filhos devido essa proposta. Como resolver essa questão, pois não há outras escolas daquele porte no bairro?
A JFM está no programa Brasil Profissionalizado, projeto do governo Federal voltado para o Ensino Médio. O RN pactuou isso com o Ministério da Educação em 2009, a meta é implantar 53 unidades e não podemos mais adiar isso. Como a JFM é uma escola grande, temos que ver se o Ensino Fundamental interfere no funcionamento do Médio. Vou visitar a escola para ver a possibilidade de organizar em blocos (de Fundamental e Médio), da mesma forma que as escolas privadas fazem – dividem em blocos, muitas vezes até em prédios. Além das 53 unidades do Brasil Profissionalizado, também temos que implantar outras 16 de tempo integral e oito centro profissionalizantes, todas de Ensino Médio.

Então os alunos do Ensino Fundamental da Fernandes Machado não precisam se preocupar?
Não, a questão não está fechada. Haverá um período de transição. O RN está acostumado a repetir as coisas do mesmo jeito, as novidades geram questionamentos naturais. Pelo menos em 2017 não haverá risco da escola deixar de oferecer o Ensino Fundamental.

SÃO PAULO DO POTENGI RN> 14º e 15º HOMICÍDIOS REGISTRADOS


Por Na Ficha da Policia - Um Duplo homicídio foi registrado na noite destes sábado 12 de novembro de 2016 quase simultaneamente. O 1º ocorreu no bairro Santa Clara, o jovem conhecido por Moneílson ainda foi socorrido, mais morreu no hospital.
O 2º homicídio ocorreu em frente a caixa d'água da Caern, no bairro Vila Campo Grande, ambos em São Paulo do Potengi, os duplo homicídio podem ter relação um com o outro. este último foi um ex-presidiário conhecido por Dragão, que havia sofrido uma tentativa de homicídio há poucos meses, a PM fez diligências mais ninguém foi preso e faz o isolamento da área na espera do ITEP.

CAMPO REDONDO RN> JOVEM MORRE VÍTIMA DE ACIDENTE EM CAMPO REDONDO

Por Na Ficha da Policia - Por volta das 19:00 hrs da noite deste sábado (12) aconteceu um grave acidente de motocicleta no Conjunto Lauro Maia, município de Campo Redondo/RN, envolvendo o Jovem Raul Marques de 18 anos, que não resistiu aos ferimentos após ser socorrido ao Hospital Municipal.

O jovem Raul perdeu o controle da motocicleta numa lombada e foi jogado a vários metros e ainda atingiu a moto do senhor Medeiros Dantas, que apenas sofreu ferimentos leves.

SANTA CRUZ RN> UM GRAVE ACIDENTE FOI REGISTRADO NA NOITE DESTE SÁBADO (12)

Por Na ficha da Policia - Por volta das 20h30min. O fato aconteceu nas proximidades da Ponte que liga o Bairro Paraíso ao centro da cidade de Santa Cruz/RN e vitimou uma pessoa conhecido até o momento pelo nome de Arimateia que trabalhava como moto taxista.
De acordo com informações a vítima vinha em sua motocicleta quando colidiu frontalmente com o veículo que presta serviços para o SAAE. Com a colisão o capacete da vítima saiu de sua cabeça.
Uma equipe da SAMU foi acionada, mas ao chegar ao local a vítima já estava sem vida. A polícia militar se encontra no local controlando o trânsito até chegada dos peritos do ITEP.

sábado, 12 de novembro de 2016

JUCURUTU RN> MULHER AGREDITA POR GOLPES DE FACÃO NA CIDADE DE JUCURUTU


Por Na Ficha da Polícia -  A Polícia Militar de Jucurutu realizava patrulhamento pela cidade no dia de ontem (10) quando nas proximidades da churrascaria do Zorro, um cidadão procurou a guarnição de serviço para denunciar que uma mulher (que terá sua identidade preservada) estaria sendo agredida a golpes de facão pelo seu ex-marido a pessoa de Josemir Lopes da Silva, de 42 anos de idade, natural de Jucurutu e residente na Rua São João, Bairro Novo Horizonte. O fato ocorreu por volta das 20 horas, na rua São José, próximo ao bar da garagem, bairro Novo Horizonte.

A PM ao chegar no local encontrou o acusado ao chão contido por populares, que escutaram os gritos da vítima e não exitaram, tomando o facão e imobilizando o agressor no chão até a chegada da PM. Apesar da ação rápida dos populares para conter o agressor, a vítima foi atingida com uma cutilada na altura das costela, uma no rosto e uma na cabeça, foi hospitalizada no Hospital Maternidade Terezinha Lula de Queiroz Santos, onde permaneceu em observação médica durante toda a noite.

Josemir recebeu voz de prisão e foi conduzido para a Delegacia Regional da Polícia Civil, sendo atuado em flagrante delito pela Autoridade competente, ficou preso e permanecerá a disposição da justiça.


De acordo com os relatos de Josemir (acusado) o motivo para a prática do delito seria ciúmes.